CLAN – Amizades entre Crianças e Animais: desafiando as fronteiras entre humanos e não-humanos nas sociedades contemporâneas.

PTDC/SOC 28415/2017

PI: Verónica Policarpo // Co-PI: Ana Nunes de Almeida

 

O que é o projeto CLAN?

  • Financiado pela fundação para a Ciência e Tecnologia (PTDC/SOC 28415/2017), este projeto visa compreender as relações entre crianças e animais, analisando as suas práticas afetivas, e discute os modos como estas se entrelaçam com outras práticas, ambientes e contextos, como os que estão implicados no ato de “cuidar” de um animal de companhia. As crianças e os animais de companhia são considerados como co-produtores de um mundo comum, em que as fronteiras do que é uma criança, e um animal, são construídas e permanentemente reconfiguradas.

O projeto usa métodos qualitativos para explorar estas relações e as suas dimensões afetivas, no contexto do grupo doméstico e da interação entre criança e adultos cuidadores. Às crianças será dada voz, pedindo-lhes que se coloquem “no lugar” do animal de companhia. Estes serão observados, nas suas relações com as crianças e o mundo natural e material que os rodeia. O projeto também envolve atores relevantes ligados quer ao mundo da infância, quer da vida animal: políticos, professores, psicólogos, pediatras, assistentes sociais, veterinários, e representantes das associações de bem estar animal.

O CLAN decorre ao longo de três anos, com início a 1 de Outubro de 2018, com uma equipa de oito investigadores, e um painel de consultores externos composto por três peritos internacionais.

 

RESUMO

De que forma crianças e animais de companhia constroem relações quotidianas que contribuem para desafiar, ou reproduzir, categorias dominantes e fronteiras estabelecidas entre mundos humanos e não humanos?

Este projeto explora esta questão, a partir de alguns factos que têm estimulado a curiosidade científica em torno do tópico: o contraste entre mudanças normativas relativas aos direitos e proteção dos animais, e o número massivo de cães e gatos errantes ou institucionalizados, devido a diferentes formas de abuso e negligência; a queda dramática das taxas de fertilidade e o menor número de crianças, a par da crescente centralidade destas na família, e do investimento parental na sua educação; lares que se tornaram ‘recreios tecnológicos’, onde as crianças aprendem e brincam, e ter um animal de companhia se torna uma opção para os que advogam uma ‘pedagogia experiencial’, percebida como um modo de recuperar a relação com a natureza e todo ‘um mundo que se perdeu’. Para além disso, desde a modernidade que crianças e animais partilham processos similares, embora desfasados, de reconhecimento enquanto sujeitos de direitos fundamentais.

Inspirado pela ‘teoria da prática’, e partindo de literatura interdisciplinar (estudos sobre a infância, afetos, amizade e sobre o humano/não- humano), o projeto tem como objetivo estudar as relações entre crianças e animais de companhia. Presta especial atenção às suas práticas afetivas, enquanto formas de construção de sentido corporificadas (embodied). Sugere-se que crianças e animais co-produzem os mundos nos quais estão inseridos, através de práticas que podem reproduzir, ou desafiar, a barreira inter-espécies. Avança-se a hipótese de que, quando estas relações são construídas como laços de família ou de amizade, essa barreira é questionada.

Outras questões mais específicas são: quais são as dimensões (educacionais, lúdicas, instrumentais) das práticas entre crianças e animais? De que modo estas práticas influenciam a criança e o animal, no desenvolvimento da empatia mútua? Como contribuem para desenhar as fronteiras do que é um ‘animal’, um ‘animal de companhia, ou um ‘amigo’? Como se entrelaçam com práticas parentais, educativas e do cuidar, da criança e do animal, bem como com o cenário material da casa?

 

Metodologicamente, o projeto segue um desenho qualitativo. A unidade de análise é a relação entre a criança e os animais de estimação (cães e gatos); às crianças será dada voz, e a sua relação com os animais será observada em contexto doméstico. A aproximação multi-método incluirá dados visuais e verbais, recolhidos através de observação direta, métodos visuais e participativos, e entrevistas com o apoio de fotografias.

O projeto desenvolve uma perspetiva sociológica que permaneceu pouco explorada: a relevância da relação criança-animal de estimação para ambas as partes; e como ela se constrói através de práticas afetivas. É o primeiro trabalho sobre o tema nas ciências sociais portuguesas.

 

EQUIPA

foto-veronica-site

Verónica Policarpo

PI (Principal Investigator)

Socióloga e investigadora no ICS-ULisboa, na área dos Human-Animal Studies. Desde Outubro de 2018, coordena o projeto “CLAN – Amizades entre crianças e animais: desafiando as fronteiras entre humanos e não humanos nas sociedades contemporâneas” (PTDC/SOC 28415/2017). É membro do grupo de investigação LIFE, e fundadora do grupo de leitura “Animal Wonder – Reading Group on Human-Animal Studies @ICS-ULisboa”.

foto-ana-site

Ana Nunes de Almeida

CO-PI (CO-PRINCIPAL  INVESTIGATOR)

Socióloga e investigadora coordenadora no ICS-ULisboa. Os seus actuais temas favoritos de pesquisa são: crianças e infância, família e escola, crianças e animais, novos dilemas éticos na investigação com crianças. É actualmente presidente do Conselho Científico do ICS-ULisboa e da Direcção do Research Committee da European Sociological Association.

foto-monica-site

Mónica Truniger

INVESTIGADORA ICS ULISBOA

Socióloga no ICS-ULisboa. Tem-se dedicado à investigação, ensino e comunicação das práticas sociais alimentares através de pesquisas sobre pobreza alimentar, consumo alimentar sustentável e hábitos alimentares de famílias com crianças. Tem vários títulos publicados alusivos a estas temáticas em editoras portuguesas e internacionais.

foto-lbr-site

Leonor Bettencourt Rodrigues

INVESTIGADORA PÓS-DOUTORADA

Investigadora Pós-doutorada com doutoramento em Psicologia Social, Ambiental e Comunitária. Os seus tópicos de investigação têm estado relacionados com política social e a intervenção com populações vulneráveis e atualmente está a desenvolver um projeto de investigação (bolsa individual FCT) sobre a complexidade e ambivalência na tomada de decisão no contexto da proteção das crianças em perigo.

foto-teresa-site

Teresa Líbano Monteiro

DOUTORADA

Teresa Líbano Monteiro é doutorada em sociologia (ISCTE-IUL) (2007). Lecionou Teorias Sociológicas e Métodos de Investigação na Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa (1993-2017). Em 2013, esteve no Centre Max Weber (Lyon- France) para desenvolver investigação na àrea dos Human-Animal Studies.

foto-marta-site

Marta Rosales

INVESTIGADORA AUXILIAR

Antropóloga (PhD 2007) e investigadora auxiliar no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa desde 2014. A minha pesquisa inside fundamentalmente sobre os seguintes tópicos: cultura material e consumo, migrações internacionais e antropologia dos media. Actualmente coordeno o TRANSITS – Cultura Material, Migração e Vida Quotidiana.

s200_vasco.ramos

Vasco Ramos

Vasco Ramos (Lisboa, 1976) é Investigador de Pós-Doutoramento, com doutoramento em Sociologia pela Universidade de Lisboa. No seu percurso de investigação começou por trabalhar sobre temas como as desigualdades, classes sociais e a mobilidade social. Interessa- se também pelas áreas da sociologia da vida familiar e afetiva. Mais recentemente tem trabalhado sobre alimentação, práticas alimentares e relações entre animais humanos e não-
humanos. Atualmente desenvolve investigação no projeto CLAN, especificamente trabalho etnográfico com crianças e animais de companhia, interessando-se por compreender com as
categorizações específicas de animais não-humanos se articulam com práticas e preferências alimentares. Está no ICS-UL desde 2009 tendo integrado projetos de investigação na área da sociologia da
vida familiar, nomeadamente sobre trajetórias sociais, familiares e redes sociais, sob a orientação de Karin Wall. Atualmente integra o grupo de investigação LIFE – Percursos de Vida, Desigualdade e Solidariedade: Práticas e Política;. Colabora regularmente com OFAP – Observatório das Famílias e das Políticas de Família. Integrou recentemente o projeto Families and Food in Hard Times;, financiado pelo European Research Council (ERC), enquanto bolseiro de pós-doutoramento. Entre 2017 e 2019 foi bolseiro de pós-doutoramento da FCT, comum projeto acerca das modalidades de precarização ao longo do percurso de vida.

Henrique _Tereno

Henrique Tereno

Licenciado em Estudos Europeus pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Mestre em Antropologia pelo ISCTE/UTAD. É atualmente bolseiro de investigação no projeto CLAN no Instituto de Ciências Sociais. Os temas de pesquisa prediletos enquadram o relacionamento entre humanos e animais não-humanos.

CONSULTORES EXTERNOS

jerome.michalon

Jérôme Michalon

Research Fellow in Sociology, at The French National Centre for Scientific Research.  I’m currently working at the Triangle laboratory (UMR 5206 – University of Lyon). My research areas are human-animal relationships, science studies, sociology of mobilization, and sociology of health. My work consists in a sociological exploration of social dynamics within the “benevolence towards animals communities”. My PhD dissertation about Animal-Assisted Therapies as a social phenomenon has been published in 2014 (“Panser avec les animaux. Sociologie du soin par le contact animalier”, Presses de Mines, Paris). I try to understand how health care changes the social status of some animals (namely dogs and horses). I am also working on animal rights activism, and especially the links between advocacy and academia.

Harry Eckman​

Harry Eckman

Harry has worked in animal welfare for over 20 years. In that time he has collaborated with hundreds of locally based animal welfare, protection and shelter organisations around the world, providing guidance and support on a wide range of issues and areas including organisational and capacity development, strategic planning, stray dog and cat population management, shelter management, welfare standards, community engagement and incorporating human behaviour change concepts into companion animal management program

mara.miele

Mara Miele

Professor in Human Geography, Director of Postgraduate Research

School of Geography and Planning